A Rede Pronobis

Integre a rede PRONOBIS

O que dizem os nossos cooperadores

Luís Candeias - Músico

Como conheceu a Pro Nobis?
Conheci a Pro Nobis através de colegas de trabalho que, alguns deles, já faziam parte.

Porque decidiu tornar-se membro?
A situação injusta e muitas vezes complicada de quem trabalha a recibos verdes levou-me a procurar uma alternativa mais viável.
Quando fui à primeira entrevista com a Pro Nobis senti, pela confiança que me transmitiram, que seria o passo a tomar, não só pela transparência com que tudo foi abordado mas também pela acessibilidade por parte de toda a equipa.

O que mudou para si?
Deste então que tudo mudou…para muito melhor! São bastantes as coisas que melhoraram por fazer parte da Pro Nobis; valores justos das contribuições à segurança social e impostos, que são calculados individualmente para cada cooperador, despesas relativas à profissão que podem ser utilizadas para que esses mesmos valores sejam mais realistas e exactos, facilidade de comunicação para tratar qualquer tipo de assunto, e acima de tudo o profissionalismo e a dedicação com que cada membro desta equipa trabalha, para além do facto de ser representado por uma entidade que protege e respeita os meus direitos enquanto artista.

Recomendaria a companheiros de profissão?
Recomendo, seguramente, a Pro Nobis a qualquer profissional das artes.

FOTO – Fotógrafo Joaquim Mendes

Salomé Pais Matos - Músico | Harpista

Como conheceu a Pro Nobis?
Ouvi falar pela primeira vez da Pro Nobis em conversa com um amigo, que é um experiente técnico de som, com uma carreira extensa e reconhecida.
Conversávamos sobre o costume: honorários, descontos para a Segurança Social, despesas profissionais que não tinham nenhum peso no cálculo de IRS, retenções e pagamentos por conta, etc. E ele explicou-me superficialmente o que era a Pro Nobis e as implicações positivas que tiveram no seu caso pessoal.

Porque decidiu tornar-se membro?
Fiquei curiosa e fui consultar o site da Cooperativa, para ter a certeza de que tinha percebido bem tudo o que ouvi, pois era mesmo o que eu necessitava, para poder continuar a trabalhar e cumprir com os descontos ao Estado. Decidi marcar uma reunião, na qual me explicaram de forma clara e objectiva o funcionamento da Pro Nobis e desde 2015 que sou membro.

Recomendaria a companheiros de profissão?
Recomendo aos meus colegas músicos independentes que se tornem membros, pois os benefícios de:

  • As despesas relativas à manutenção da Harpa, ou outro instrumento, de deslocação, alimentação, etc. em trabalho, serem tidas em conta;
  • De fazerem-se logo todos os descontos para a Segurança Social e IRS de acordo com a remuneração, e não por escalão relativo aos rendimentos do ano anterior;
  • De ter a Cooperativa a representar-me na facturação e para a execução, atempada, dos pagamentos dos serviços, perante as Instituições.

são factores que vieram dar-me estabilidade financeira.
Estou  muito satisfeita com a Pro Nobis, e grata, a comunicação é muito próxima entre os membros e a sede da Cooperativa, e o trabalho realizado nela é muito profissional e justo.

FOTO – Fotógrafo Daniel Pego

Francisca e Inês - Fotógrafas e Videógrafas

Como conheceu a Pro Nobis?
Através de uns colegas da área

Porque decidiu tornar-se membro?
Achámos que era uma óptima alternativa aos recibos verdes e, desde o momento em que nos reunimos com a Michelle, percebemos que eles nos iriam ajudar em todas as questões que tivéssemos a nível de gestão do nosso negócio.

O que mudou para si?
A maneira como encaramos a parte financeira do negócio, consideramos que a Pro Nobis torna esta questão muito mais acessível aos colaboradores e prepara-os para planificarem as suas próprias empresas.

Recomendaria a companheiros de profissão?
Sim, e já recomendámos!

FOTO – Auto-retrato

Iúri Oliveira - Músico | Percussionista

Como conheceu a Pro Nobis?
Através da recomendação de um amigo.

Porque decidiu tornar-se membro?
Decidi tornar-me membro pois eu, trabalhando única e exclusivamente na Música, tenho direitos e deveres, assim como invisto num sistema que possa, em situações mais complicadas, defender-me e ter uma voz activa no meio artístico, que em Portugal está visto ainda como um hobbie.
Nós, músicos profissionais, somos trabalhadores como outros quaisquer, não apenas nos dias de concertos mas também nos dias de estudo, ensaios, gravações e audições.
A Pro Nobis é uma voz activa no meio artístico, com uma estrutura incrivelmente bem montada, dando todas as condições aos músicos para terem contabilidade organizada e um futuro bem mais estruturado.

O que mudou para si?
Deixei de me preocupar com os recibos verdes e deixei de me preocupar com as agências, artistas, câmaras municipais e outros meios que não pagam aos músicos.

Recomendaria a companheiros de profissão?
Recomendo todos os dias.

FOTO – Fotógrafo João Catarino